Sejam todos muito bem-vindos! Depois de um ano de sucesso é chegada a hora de "mimar" o nosso blogue alterando-lhe o visual... ;) Alteram-se umas coisas, mas continua-se a apostar no mais importante: Partilha, Estudo e Brincadeira... para que possamos aprender sempre um pouco mais! Portanto mãos à obra, pois "Saber é Poder"!!! ;) Hugs and Kisses
RSS

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Regras de funcionamento da sala de aula

Regras de funcionamento da sala de aula

  • Ser assíduo e pontual;
  • Entrar e sair da sala de forma ordenada e em silêncio;
  • Quando chegares atrasado, deves bater à porta e explicar o motivo;
  • Tirar o boné/chapéu antes de entrar na sala;
  • Desligar os telemóveis;
  • Trazer o material necessário para cada aula e mantê-lo em bom estado;
  • Só é permitida a permanência na sala de aula, na presença do professor;
  • Participar activamente nas actividades propostas;
  • Não interromper a aula com perguntas ou comentários inoportunos;
  • Levantar o dedo para pedir a palavra, aguardando a sua vez;
  • Não se levantar sem autorização do professor;
  • Respeitar as ideias dos outros;
  • Ter cuidado com o material específico dos colegas e da sala;
  • Não arrastar cadeiras e mesas;
  • Não mascar pastilhas elásticas, nem comer na sala;
  • Manter a sala limpa e organizada;
  • Não falar, não se debruçar, nem atirar objectos pela janela;
  •  O uso de calão e linguagem imprópria devem ser evitados.
  • Estar atento na sala de aula.
  • Fazer tudo o que a professorta manda.
  • in: http://philosdiana.blogspot.pt/2010/09/regras-de-funcionamento-da-sala-de-aula.html

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Novo começo...

Cá estamos de novo...
Este ano em São Domingos de Rana, na Escola Matilde Rosa Araújo.
Que seja um Bom ano para todos ;)



quinta-feira, 9 de junho de 2016

Férias ;)


A todos os "meus meninos" desejo umas boas férias!!!
Aproveitem para descansar 
e ler um , dois, três bons livros à beira mar... ;)



beijinhos e bom descanso para todos!


P.S. Foi um prazer ser vossa professora :)

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Poesia Maluca


Meninas,
enviem-me por favor os poemas (pode ser através de fotos) e as fotos da atividade com as turmas do 1º ciclo!
bjnhs

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Robinson Crusoé - leitura digital

Neste post encontram várias versões do livro... basta clicarem na imagem e embarcar nesta aventura!!! BOAS LEITURAS!!!



Clica na imagem e começa a aventura ;)







sexta-feira, 6 de maio de 2016

recursos expressivos - texto poético

Repetição expressiva – é um recurso que serve para dar relevo a uma ideia e/ou para produzir um determinado efeito sonoro. É a repetição de uma palavra ou expressão, para tornar o texto mais expressivo.
Ex: As ondas subiam, subiam, subiam…
Personificação – é um recurso expressivo que consiste na atribuição de características humanas a um animal irracional ou a um ser inanimado. Basta um destes seres ser dotado de fala para se encontrar personificado.
Ex: A raposa disse ao corvo que havia uma nova lei entre os animais do bosque.
Comparação – é a relação entre duas realidades diferentes, através das expressões: como, parece, assim, tal como, parecido com…
Ex: Os olhos de Joana eram azuis como safiras
Enumeração – Consiste na utilização de palavras da mesma categoria gramatical de forma sucessiva, para especificar ou exemplificar algo.
Ex: A Joana tinha uma arca cheia de coisas belas e preciosas: colares, pulseiras, brincos, medalhas
Adjetivação – Consiste na utilização de um ou mais adjetivos, de forma a tornar o texto mais expressivo.
Ex: As ondas do mar eram leves, brancas e espumosas.
Onomatopeia – É um recurso expressivo que consiste na imitação de sons da realidade.
Ex: Miau! Miau!; Pum! Pum!; Truz, truz! Truz!


Ler mais: http://segundociclo.webnode.pt/products/recursos-expressivos/



quarta-feira, 4 de maio de 2016

texto poético - apontamentos escola virtual


terça-feira, 3 de maio de 2016

texto poético

segunda-feira, 2 de maio de 2016

texto poético

TEXTO POÉTICO
O texto poético apresenta-se, normalmente, em verso e tem como objectivo despertar a sensibilidade do leitor. Assim, a linguagem é mais expressiva, dando-se especial atenção ao ritmo e à musicalidade.
Chamamos poema a um texto escrito em verso.
Verso é cada uma das linhas de um poema.
Estrofe é um conjunto de versos. As estrofes são separadas por um espaço em branco. Uma estrofe pode ter um ou mais versos e um poema pode ter uma ou várias estrofes.
As estrofes são designadas de acordo com o número de versos que as compõem.

Número de versos
Estrofe
2
Dístico ou parelha
3
Terceto
4
Quadra
5
Quintilha ou quinteto
6
Sextilha ou sexteto
7
Septena, septilha ou hepteto
8
Oitava
9
Nona ou noneva
10
Décima

Nos poemas é frequente (mas não obrigatório) haver rima. A rima acontece quando dois ou mais versos terminam com sons iguais ou semelhantes.
Exemplo: Caracol, Caracol,
         Onde vais com tanto sol?

Etiquetas:

 (in http://segundociclo.webnode.pt/products/texto-poetico/)

terça-feira, 26 de abril de 2016

modificador do grupo verbal (complemento oblíquo)

Modificador do Grupo Verbal


O modificador do grupo verbal- é a função sintática desempenhada por qualquer constituinte do grupo verbal (predicado) que não é selecionado por nenhum elemento desse grupo verbal. Por outro lado, relaciona-se com os outros elementos do grupo verbal e a sua omissão, geralmente, não afeta o sentido / a gramaticalidade de uma frase.

          O modificador do grupo verbal pode assumir diferentes formas:

               » grupo preposicional:
                    . A Margarida acordou com um pesadelo. (o verbo «acordar» não selecciona o grupo preposicional «com um pesadelo» dado que é intransitivo).

               » grupo adverbial:
                    . Em Dezembro, anoitece muito cedo. (quer o grupo adverbial «muito cedo» quer o grupo preposicional «Em Dezembro» não são seleccionados pelo verbo «anoitecer», pois este é intransitivo).

Modificador do grupo verbal

Modificador do grupo verbal

O modificador do grupo verbal é uma função sintática que não é exigida por nenhum elemento do grupo verbal. É, pois, uma função sintática acessória que pode ser retirada da frase, sem prejuízo da sua gramaticalidade.

O modificador do grupo verbal pode ter vários valores semânticos: temporal, locativo, modal, final e causal.


A função sintática de modificador do grupo verbal pode ser desempenhada por um grupo preposicional, um grupo adverbial ou uma oração.

Exemplos: 
No verão, Lourença ia para a praia. (grupo preposicional com valor temporal)
 Havia uma grande festa em casa do Cavaleiro. (grupo preposicional com valor locativo) 
O Cavaleiro enfrentou, corajosamente, o frio e a neve. (grupo adverbial com valor modal)
 Lourença gostava de sonhar quando se deitava para dormir. (oração subordinada adverbial com valor temporal) 
Ele trabalhou muito para conseguir o lugar. (oração subordinada adverbial com valor final) 
Faltei, porque fui ao médico. (oração subordinada adverbial com valor causal) 
Estaciono onde houver lugar. (oração subordinada substantiva relativa com valor locativo) 

segunda-feira, 25 de abril de 2016

25 de abril - Infominuto

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Para a ficha de avaliação de abril

Meninos,
Cá fica a ajudinha prometida:

O Teste é constituído apenas por uma parte de interpretação e outra de gramática.

Como de costume temos 2 textos e interpretação.

Para a gramática estudem muito bem:
- As preposições (contração) - pág. 220;
- Advérbios - pág. 214;
- Verbos copulativos, transitivos, Intransitivos - pág. 213;
- Funções sintáticas - pág. 224 - 226;
- Frase ativas / Passivas - pág. 223.

Estudem e tragam muitas dúvidas para a aula!

sábado, 9 de abril de 2016

Frase Ativa e Frase Passiva

As frases podem ser ativas ou passivas, tendo em conta a forma como são construídas.

Frase ativa:

Ex.: O Pedro viu um OVNI. ➜ Frase ativa, constituída por sujeito, verbo (na ativa) e complemento direto.

Frase Passiva:
Ex.:  Um OVNI foi visto pelo Pedro. ➜ Frase passiva, constituída por sujeito, verbo (na passiva) e complemento agente da passiva.

É necessário ter em consideração três aspetos na passagem de uma frase ativa para uma passiva:

1. Só é possível a transformação de frases com verbos transitivos.
Ex.:
Ele deu uma lembrança ao ET. Uma lembrança foi dada ao ET por ele.
A Ana considera o ET atencioso. O ET é considerado atencioso pela Ana.

2. Na frase passiva, o complexo verbal é constituído pelo verbo auxiliar ser (no tempo e no modo do verbo da frase ativa) e pelo verbo principal no particípio passado (concordando com o novo sujeito).
Ex.:
 O planeta Terra foi visitado pelo extraterrestre.
(Verbo auxiliar ser + verbo principal, no particípio passado,
masculino, singular, pois concorda com o sujeito (O planeta Terra).

3. Na transformação de uma frase ativa em frase passiva, o sujeito e o complemento direto da frase ativa passam a complemento agente da passiva e a sujeito da frase passiva, respetivamente.
Ex.: O extraterrestre visitou o planeta Terra.
           [Sujeito]                                        [Complemento direto]

O planeta Terra foi visitado pelo extraterrestre.
[Sujeito]                                                  [Complemento agente da passiva]

Notas:

a. O complemento agente da passiva é, geralmente, regido pela preposição por ou pela contração desta com o artigo definido: pelo, pela, pelos, pelas.
Ex.: A Mariana foi visitada pelo alienígena.
b. O particípio passado é uma forma verbal não finita; muitos verbos têm duas formas de particípio:
     • utiliza-se a forma regular (ou fraca) com os verbos ter e haver;
     • utiliza-se a forma irregular (ou forte) com os verbos ser e estar.



quinta-feira, 7 de abril de 2016

E SE FOSSE EU...




Promover a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro. Tentar compreender como se sente. Só assim poderemos ajudar melhor – esta é a ideia primordial da iniciativa da Plataforma de Apoio aos Refugiados que quer saber como se sentiriam os alunos das escolas portugueses se estivessem na "pele de um refugiado".
Com o apoio da Direção-Geral de Educação, do Alto Comissariado para as Migrações e do Conselho Nacional de Juventude, a atividade que foi levada às escolas portuguesas foi inspirada num projeto chamado What's in my bag?, e que decorreu na ilha grega de Lesbos.
E se tivesse de partir para fugir da guerra? Se fosse refugiado? O que levaria na mochila?
A pergunta foi dirigida também à nossa comunidade escolar. Pais, alunos e professores foram chamados a refletir sobre a vida daqueles que chegam à Europa em busca de um futuro melhor.
Depois de uma manhã de reflexão com as turmas H, C e D do sexto ano partilhamos convosco as nossas mochilas:


This camping backpack will take:
Documentos - Documents
Dinheiro - Money
Telemóvel - Mobile Phone
Comida - Food
Roupas - Clothes
Tenda - Tent
Saco Cama - Sleeping Bag
Lanterna - Flashlight
Pasta de Dentes - Toothpaste
Escova de Dentes - toothbrush
Água Potável - Potable Water
I Would take my documents to escape to another coutry, some money to buy something according to my needs; some food and wather; Basic clothes , my sleeping bag, a tent, a flashlight to light the way at night.

Cristina Yanchuk 6ºD ;)





















In my schoolbag  I'ld take:

A lamp;
Some clothes;
Canned food;
Pasta;
Cookies;
A Hat;
Some money and my identity Card;
and a Pocket multi tool Knife.

Gustavo Pais - 6ºD 😋





 In my rucksacke I'ld take:

some money, clothes and foot wear, wather and food, some documents and sunscreen. I'ld also take a lantern, a map, a compass and a mobile phone with an extra battery for my mobile phone.

 
 Tomás Ribeiro,  6ºD 😇






















Carolina Fazendeiro 6ºC


Gabriela 6ºC








Tomás Brito,  6ºH

Beatriz, 6ºH

Pedro, 6º H

Gonçalo, 6ºH

Diogo, 6ºH

AS fotos dos restantes alunos foram partilhadas pelo Facebook de cada aluno:

#EBJGZARCO#ESEFOSSEEU#nome do aluno
















quarta-feira, 6 de abril de 2016

Iniciativa “E se fosse eu? Fazer a mochila e partir” 6 de abril de 2016

Iniciativa “E se fosse eu? Fazer a mochila e partir” 

6 de abril de 2016 

A Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR), em colaboração com o Alto Comissariado para as Migrações, I.P. (ACM, I.P), a Direção-Geral da Educação (DGE) e o Conselho Nacional de Juventude (CNJ),organizou a iniciativa “E se fosse eu? Fazer a mochila e partir”. Esta iniciativa terá lugar no dia 6 de abril, a nível nacional, nas escolas que a ela queiram aderir e tem como objetivo a sensibilização para o acolhimento de refugiados. “E se fosse eu? Fazer a mochila e partir” constitui um exercício de empatia com quem foge da guerra e procura proteção humanitária, levando os alunos a perceber o que quer dizer deixar tudo para trás, a ter de selecionar o que é mais importante, vivendo só com uma mochila numa jornada de perigos e incertezas, bem como a refletir e a debater sobre o que gostariam de encontrar se vivessem essa situação. 

Objetivos 
 Sensibilizar os alunos para a problemática dos refugiados, por forma a criar empatia com quem foge da guerra e procura proteção humanitária; 
 Refletir sobre o conceito de refugiado;
 Levar os alunos a colocarem-se no lugar de refugiados; 
 Perceber o que quer dizer deixar tudo para trás, ter de selecionar o que é mais importante e viver só com uma mochila numa jornada de perigos e de incertezas.






A campanha “E se fosse eu?” é inspirada no projeto “What’s In My Bag?” desenvolvido pelo International Rescue Comitee em colaboração com o fotógrafo Tyler Jump que fotografou um grupo de refugiados que chegou à ilha de Lesbos (Grécia) – uma mãe, uma criança, um adolescente, uma família, um farmacêutico e um artista – e que partilharam o que trouxeram nas suas mochilas quando tiveram de fugir.
Este ano, cerca de 100.000 homens, mulheres e crianças de países em guerra no Oriente Médio, Norte da África, e Sul da Ásia fugiram de suas casas e aventuraram-se em barcos de borracha pelo Mar Egeu para Lesbos, na Grécia.
Infelizmente poucos chegam ao seu destino com mais do que os seus bens essenciais. Os seus bens contam as histórias sobre seu passado e as esperanças que têm para o futuro.
https://www.youtube.com/watch?v=heDm_-ZNCMs&list=PLJXYpCpUso8xLoZPw7SK-TrZW_CNTgoyG


Na nossa escola também aderimos a este projeto/campanha e iremos mostrar o que colocaríamos nas nossas mochilas.