Sejam todos muito bem-vindos! Depois de um ano de sucesso é chegada a hora de "mimar" o nosso blogue alterando-lhe o visual... ;) Alteram-se umas coisas, mas continua-se a apostar no mais importante: Partilha, Estudo e Brincadeira... para que possamos aprender sempre um pouco mais! Portanto mãos à obra, pois "Saber é Poder"!!! ;) Hugs and Kisses
RSS

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

para o teste...


Meninos,
cá vai o prometido...

O teste é composto por:
Grupo I - Leitura e Educação Literária
- texto com perguntas de Interpretação;
Grupo II - Leitura e Escrita
- texto + interpretação
(estudar diferentes tipos de texto não literários - página 57 do manual)
Grupo III - Gramática
- Classe dos Nomes; Determinantes; Pronomes; Adjetivo; Advérbio; Preposições
- Tempos e Modos verbais (modo indicativo)
- Análise sintática (Sujeito + Predicado + Complemento Direto + Complemento Indireto)
Grupo IV - Escrita
- Escrita orientada - 120 a 180 palavras.

Bom estudo!
Qualquer dúvida sabem onde me encontrar ;)

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

bingo das funçoes sintaticas

texto instrucional - receita

Bolos Lêvedos das Furnas
Ingredientes:
1 Kg de farinha de trigo;
250 g de açúcar;
250 g de manteiga;
20 g de fermento de padeiro;
Leite q.b.
Modo de confeção:
Peneire  a farinha com o açúcar e faça um buraco no meio, onde coloca o fermento, dissolvido em leite morno. Misture e junte, então, a manteiga derretida. Amasse de seguida, até obter um preparado com a consistência da massa de pão, e deixe levedar durante 8 horas.
Faça bolos do tamanho aproximado de uma laranja. Disponha-os sobre toalhas enfarinhadas. Tape-os e deixe-os levedar novamente, cerca de mais 4 horas.  Depois estenda-os de forma a se assemelharem a discos, colocando-os, de seguida numa sertã, previamente polvilhada de farinha, e deixando cozinhar de um lado e do outro.

---------------------------------------
Regista  os principais aspetos que encontramos num texto instrucional:
     Recurso a  títulos e subtítulos;   
Uso do modo imperativo ou conjuntivo;
Uso adequado das formas de tratamento de segunda ou de    terceira pessoa;
Emprego de advérbios ou locuções adverbiais (cuidadosamente, lentamente, ...);
Exemplos de textos instrucionais: receitas, bulas de medicamentos, manual de instruções de um equipamento, regras de jogo, entre outros.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Ulisses - filme completo

contagem das sílabas métricas

CONTAGEM DAS SÍLABAS MÉTRICAS

     A contagem das sílabas gramaticais e das sílabas métricas não é igual. As sílabas gramaticais, próprias da prosa, não são as mesmas que as sílabas métricas, usadas nos poemas e, por vezes, não coincidem.
    
Por exemplo:  

Sílabas gramaticais: Tí / mi / da / es / pe / ra / a /  bai / la / ri / na

Nº de sílabas              1    2    3     4     5    6    7     8    9   10   11

Sílabas métricas:  Tí / mi / da  es / pe / ra  a /  bai / la / ri / na
Nº de sílabas         1     2       3       4       5       6     7    8    9


     Como podemos observar, o número de sílabas métricas e gramaticais não coincidiu.
     Chamamos a contagem das sílabas métricas de escansão dos versos. Escandir/Medir os versos é indicar as suas sílabas métricas e seus acentos.

  As regras básicas para a contagem de sílabas métricas são: 

a) só contamos até a última sílaba tónica de um verso.

Exemplo: Na / rea / li / da / , tris / te / si / na,
                 1      2     3    4       5      6    7
                 No / pal / co / vão / re / pre/ sen / tar
                 1       2     3      4     5     6     7      8
      No primeiro verso, não conta a sílaba "na", porque a última sílaba palavra do verso é grave.
      No segundo verso, contamos todas as sílabas, porque a última sílaba  do verso é aguda.

b) quando em um verso uma palavra terminar por vogal átona e a palavra seguinte começar por vogal ou H (que não tem som, portanto não é fonema, mas uma simples letra) unem-se as duas sílabas numa só.

Exemplo: Da / vi / da es / sa / mes / ma / ro / ti / na
                 1      2       3       4      5      6     7     8    9
c ) fusão de dois sons vocálicos iguais.

Exemplo: Tí / mi / da es / pe / ra a / bai / la / ri / na
                  1    2      3        4      5       6     7    8    9



Classificação dos versos quanto ao número de sílabas métricas:

1. Monossílabo : 1 sílaba
2. Dissílabo : 2 sílabas
3. Trissílabo : 3 sílabas
4. Tetrassílabo : 4 sílabas
5. Pentassílabo ou Redondilha Menor : 5 sílabas
6. Hexassílabo ou Heróico quebrado : 6 sílabas
7. Heptassílabo ou Redondilha Maior : 7 sílabas
8. Octassílabo : 8 sílabas
9. Eneassílabo : 9 sílabas
10. Decassílabo : 10 sílabas
11. Hendercassílabo : 11 sólabas
12: dodecassílabo ou alexandrino : 12 sílabas
13. Bárbaro : 13 ou mais sílabas

Sílabas gramaticais e sílabas métricas

Sílabas gramaticais e sílabas métricas


Todas as palavras são compostas por sílabas que, por sua vez, são constituídas por outros elementos ainda menores: a letra, se estivermos a pensar na palavra escrita, ou o fonema, se estivermos a pensar na palavra falada. 
No entanto, existem ainda dois tipos de sílabas: as sílabas gramaticais, mais fáceis de identificar na palavra escrita, e as sílabas métricas, mais fáceis de identificar na palavra falada.


Para melhor compreender, olhemos para a seguinte palavra:

televisão

Ora, qualquer um consegue identificar as quatro sílabas que compõem esta palavra: te-le-vi-são. Estas são as sílabas gramaticais. 

Mas como é pronunciada a palavra?
Mas no português falado, o mais comum é dizer "tle-vi-são". Assim, por muito que a palavra "televisão" tenha quatro sílabas, a palavra pronunciada "tlevisão" tem apenas três. E aqui se vê a importância de distinguir entre sílabas gramaticais e sílabas métricas, ou seja, as sílabas que de facto pronunciamos ao falar.

Recorda que a poesia é escrita não para ficar bonita no papel, mas para atingir um ritmo agradável, que é apreciado quando se recita o texto poético. Por esta razão, a lírica não avalia o número de sílabas gramaticais do poema, mas sim o número de sílabas métricas, aquelas que são pronunciadas e que, por isso, criam o ritmo dos versos.

Agora que já vimos a importância das sílabas métricas para a poesia, continuemos com a experiência. Olhemos para as duas frases que se seguem:

A Ana chegou tarde à escola.
A Lena chegou tarde à cantina.

Analisemos o número de sílabas gramaticais presentes:
A / A/na / che/gou / tar/de / à / es/co/la. = 11 sílabas gramaticais
A / Le/na / che/gou / tar/de / à / can/ti/na. = 11 sílabas gramaticais

Resta agora ler as frases e contar as sílabas métricas que encontrarmos:
A_A/na / che/gou / tar/de_à_es/co/(la). = 7 sílabas métricas
A / Le/na / che/gou / tar/de_à / can/ti/(na). = 9 sílabas métricas

Reparem como as vogais de duas palavras diferentes se unem quando estão lado a lado, tornando-se numa única sílaba métrica. E, se disserem as frases em voz alta, hão-de reparar que, na última palavra de cada frase, as sílabas átonas finais quase que desaparecem. Por isso, elas não são contabilizadas quando fazemos a contagem de sílabas métricas.


  • A contagem das sílabas métricas realiza-se até à última sílaba acentuada do verso, ocorra ela na última, penúltima ou antepenúltima sílaba gramatical da palavra (Ex.: mi/nhas / /(grimas); meu / de/se/(jo); meu / co/ra/ção). 

  • Hiato - quando duas vogais tónicas estão lado a lado, não pode haver contração das duas, pelo que ocorre um hiato, ou seja, mantêm-se em sílabas independentes mesmo que uma das sílabas tónicas enfraqueça. O hiato diminuía a fluidez do verso, razão porque os autores se esforçam por o evitar (Tu ontem... = tu / on/tem). 
  • Diérese - Separação de duas vogais seguidas dentro de uma mesma palavra, de modo a que constituam duas sílabas diferentes (Ex.: sa/u/da/de).
  • Sinérese - União de duas vogais, no interior de uma mesma palavra, que originalmente não formavam ditongo, de modo que constituam uma única sílaba (Ex.: pie/da/de).
Tal como acontece com as estrofes, também os versos recebem um nome específico de acordo com o número de sílabas métricas que os constituem:
  • monossílabo - uma sílaba
  • dissílabo - duas sílabas
  • trissílabo - três sílabas
  • tetrassílabo - quatro sílabas
  • pentassílabo ou verso de redondilha menor - cinco sílabas
  • hexassílabo - seis sílabas
  • heptassílabo ou verso de redondilha maior - sete sílabas
  • octossílabo - oito sílabas
  • eneassílabo - nove sílabas
  • decassílabo - dez sílabas
  • hendecassílabo - onze sílabas
  • dodecassílabo ou verso alexandrino - doze sílabas

in: http://criarmundos.do.sapo.pt/Literatura

Preposição

Palavra invariável que permite estabelecer relações de sentido entre elementos da frase. 

As preposições podem ser simples ou contraídas.


   Hoje, vou ao cinema. Desde ontem que estou ansioso para ver o novo filme. Até sonhei com ele esta tarde. Amanhã, fico em casa. 

AO - Preposição contraída (a+o)
PARA - Preposição simples


Preposições simples
a  - de -  por - ante -  desde - sem - após - em - sob - até - entre - sobre - com  para -  trás - contra - perante

Preposições contraídas
com determinantes, pronomes e advérbios

à (a + a)  do (de + o)
ao (a + o)  no (em + o)
àquele (a + aquele)  neste (em + este)
daí (de + aí)  nesse (em + esse)
daqui (de + aqui)  dele (de + ele)
deste (de + este)  pelo (por + o)
noutro (em + outro)

domingo, 20 de novembro de 2016

Funções sintácticas - online 1- Sujeito e Predicado

Para quem ainda tem dúvidas...

sábado, 19 de novembro de 2016

Funções sintácticas - online 3- Sujeito, Predicado, Complemento directo e Complemento Indirecto

vamos trabalhar?! Clica! 

Funções sintácticas - online 2 - Sujeito, Predicado e Complemento directo

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Distinguir pronome de determinante

Pronomes
Determinantes
1.       Para que Servem?
·         Substituem  os nomes e todas as palavras que os acompanham.
Ex. “Todos os nossos amigos vieram. Já os esperávamos.
·         Acompanham os nomes, acrescentando determinações ao seu significado.
Ex. “Estes amigos.” Estes – indica que os amigos estão próximos da pessoa que fala ou que acabaram de ser mencionados na sua fala.
2.       Como se Distinguem?
·         Aparecem isolados na frase.
Ex. “Já os esperávamos.”
·         Aparecem sempre junto de um nome  e concordam com ele em género e número.
Ex. “Os nossos amigos…”
3.       Que Funções podem desempenhar na Frase?
·         Desempenham as funções dos nomes que substituem: Sujeito, C. Directo, C. Indirecto, CC de Companhia, Vocativo, Predicativo do Sujeito.
·         Não desempenham nenhuma função.
4.       Que Subclasses existem?
1.       Pessoais
2.       Possessivos
3.       Demonstrativos
4.     Reflexos
5.       ...
6.       Relativos
1.       Artigos
2.       Possessivos
3.       Demonstrativos
4.       Indefinidos
5.       Interrogativos
6.       Numerais *

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Ulisses - livro em pdf


Livro ulisses from margaridamarques777
in http://www.slideshare.net/margaridamarques777/livro-ulisses

ou então consultem o link:
http://ulissesdiogofabioejose.weebly.com/uploads/5/0/7/3/50738433/conto_maria-alberta-meneres_ulisses.pdf

Nau Catrineta - trabalho da aula

1.1.   nau: antigo navio de vela, de armação redonda, com dois a quatro mastros principais, de borda alta e com grande calado, com castelos de proa e popa elevados, utilizado na marinha de guerra ou mercante.


3.As personagens principais são o capitão-general e o marujinho (o gajeiro). Ambas se encontram no mar, a bordo da nau Catrineta.

4.1. O que os obrigou a tirar à sorte quem haviam de matar foi a fome, pois já “não tinham de comer”, dado que “passava mais de ano e dia” que andavam no mar.

5. O capitão-general tentou escapar à morte, pedindo ao gajeiro que subisse ao mastro a ver se já se avistava terra.

6.1. Propôs-lhe a filha mais formosa em casamento, muito dinheiro, o seu cavalo branco e a nau Catrineta.
6.2. A única recompensa que o gajeiro desejava era a alma do capitão- -general.
6.3. O gajeiro era o diabo.

7. O capitão-general foi salvo por um anjo quando se atirou ao mar; o gajeiro estourou.

 8.1.
1.º painel  - vv. 5-24 – corresponde à situação inicial: os marinheiros estão à volta da mesa com os pratos vazios; o capitão deseja fugir à morte (há um cavaleiro negro e o diabo desenhados na vela), pedindo ao gajeiro que veja se avista terra.

2.º painel - vv. 25-64 – corresponde ao desenvolvimento da ação: no lado direito do painel veem-se as filhas do capitão-general e um cavalo branco, ilustrando algumas das promessas do capitão-general ao gajeiro; no canto inferior esquerdo, está representado o anjo que irá salvar o capitão.

3.º painel - vv. 65-70 – corresponde ao desenlace: no canto superior direito estão representados o anjo e o diabo, indicando a sua postura o vencedor e o vencido; é noite e a nau está em terra, bem como os marinheiros; no centro, vê-se o capitão- -general abraçado às suas três filhas.



segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Resumo (básico)

O Resumo é reduzir as partes mais importantes de um texto, usando palavras claras e precisas. Partindo do texto a resumir, deve proceder-se da seguinte forma:
  • Compreender o texto original – preparar o resumo
  • Ler atentamente e sublinhar as ideias principais do texto;
  • Identificar as partes que o configuram;
  • Determinar as relações entre as diferentes ideias (causas, consequências…), e anotar, de forma sintética, a informação principal de cada parágrafo.
  • Construir um novo texto – redigir o resumo
  • Selecionar as ideias ou factos essenciais do texto original que farão parte do resumo;
  • Suprimir as palavras ou frases que refiram pormenores secundários: comentários, exemplos, citações, expressões e frases redundantes;
  • Substituir partes do texto original por frases que tornem mais económica a expressão, reduzindo as orações subordinadas a nomes, adjetivos, etc.;
  • Redigir o resumo, respeitando as seguintes regras:
  • Respeitar a ordem das ideias pela qual são apresentadas no texto original;
  • Não usar o discurso direto;
  • Manter os tempos e as pessoas do texto original;
  • Respeitar o número de palavras proposto ou apontar para cerca de ¼ do texto original;
  • Transformar frases simples em complexas ou substituir um conjunto de frases por uma só que as inclua.

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

texto descritivo - resumo


O texto de base descritiva tem como objectivo oferecer ao leitor /ouvinte a oportunidade de visualizar o cenário onde uma ação se desenvolve e as personagens que dela participam.

Existem características linguísticas próprias do texto de base descritiva, que o diferenciam de outros tipos de textos:

  • Além dos adjectivos que naturalmente se adequam à descrição

  • Os advérbios de lugar são elementos essenciais para a coesão e a coerência do texto de base descritiva, permitindo a localização espacial dos cenários e personagens descritos;

  • O texto descritivo detém-se sobre objectos, e os tempos verbais mais frequentes são o presente do indicativo no comentário e o pretérito imperfeito do indicativo no relato.

Quadras de Sao Martinho - 6C


O cavaleiro Martinho,
Que gostava de ajudar…
Cortou a sua capa a meio,
Para um pobre alegrar!

Este santo repartiu
A capa com um mendigo,
Eu posso comer/repartir
As minhas castanhas contigo!

Olha o São  Martinho
Com o sol a espreitar…
Assam-se as castanhas,
Vamos lá festejar!