Sejam todos muito bem-vindos! Depois de um ano de sucesso é chegada a hora de "mimar" o nosso blogue alterando-lhe o visual... ;) Alteram-se umas coisas, mas continua-se a apostar no mais importante: Partilha, Estudo e Brincadeira... para que possamos aprender sempre um pouco mais! Portanto mãos à obra, pois "Saber é Poder"!!! ;) Hugs and Kisses
RSS

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

"Histórias vividas, histórias contadas... " - 4º testemunho


Manuela Canto é a nossa quarta convidada. É a mãe de Guilherme Canto, seu único filho, vive em Barcarena, tem 50 anos e é administrativa.
Nasceu em Barcarena, onde reside até hoje. Na sua infância brincou muito no quintal que tinha na casa dos seus pais. Brincava com o seu único irmão, que era mais novo, e com os vizinhos. Brincavam à macaca, às escondidas, faziam acampamentos e andavam de baloiço.
Estudou na escola da Cartuxa, aqui em Caxias. A escola era grande, tinha um pátio enorme, um campo de futebol e as salas ficavam onde era o antigo convento. As aulas de Educação Visual e Trabalhos manuais decorriam nuns pavilhões pré-fabricados, junto ao pátio.
Era uma aluna bem comportada e tinha boas notas. A disciplina que mais gostava era Trabalhos manuais. Gostava de ler livros de aventura e adorava o cheiro a livros novos.
Como os seus pais tinham dificuldades económicas, gostava de forrar os livros com folhetos de publicidade.
Quando foi para a escola secundária, tudo se tornou mais complicado e estava longe de casa. Estudou no Liceu da Amadora, onde chumbou o 8ºano. Na altura, as escolas não davam tanto apoio aos alunos, como hoje o fazem, e os seus pais não podiam pagar explicações. Reforça a ideia de que os alunos devem aproveitar ao máximo a escola e agradecer pelo apoio que recebem…mais tarde vão perceber o quanto é importante esta ajuda dada pela escola.
Assim que terminou o Liceu, fez um curso de computadores. Naquela altura os computadores funcionavam a disquetes e eram do tamanho das nossas secretárias. Tinham um tamanho “monstruoso”, em comparação com os computadores de hoje.
Em relação à sua profissão, gosta do que faz, embora tivesse escolhido outra profissão se tivesse oportunidade. Gostava de ser polícia, mas o seu pai não gostou da ideia e tratou de lhe arranjar emprego, na empresa do filho de um colega, que é onde trabalha até hoje.
Deseja muito sucesso a todos os alunos, mas para isso relembra que é preciso ser empenhado e trabalhador. Estudar é muito importante e os alunos devem aproveitar ao máximo as oportunidades que lhes são dadas.
“Por vezes basta um pequeno esforço, para se ter um grande sucesso”

Muito Obrigada Dona Manuela!!! 😊

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Gramática: Verbo

VERBO:

(palavra que exprime ação, estado, qualidade, situando no tempo...)

Podem ter várias subclasses...


  • principais O Pedro estudou.
  • auxiliares (ter, haver, ser, ir, continuar, deixar, poder, dever...) O Pedro tem estudado.


  • intransitivos O bebé nasceu.
  • transitivos A Ana escreveu a carta. ( O verbo precisa de um complemento, ou a frase fica incorreta))
(...)


  • Em Português há 3 conjugações:
1ª, em -a cantAR
2ª, em -e bebER (e também PONERE>poer>PÔR)
3ª, em -i partIR


  • Variam em:
número singular e plural
pessoa 1ª, 2ª e 3ª do singular ou do plural (eu tu ele, nós vós eles)
modo:
1indicativo (real)

tempos simples e compostos (com verbo auxiliar ter)
presente eu canto
pret. perfeito eu cantei
pret perfeito composto eu tenho cantado
pret. imperfeito eu cantava
pret. mais-que-perfeito eu cantara
pret. mais-que-perfeito composto eu tinha cantado
futuro eu cantarei
futuro perfeito composto
eu terei cantado

2- condicional (condição) eu cantaria
condicional composto eu teria cantado

3- conjuntivo (hipótese)
presente que eu cante
pret. perfeito composto que eu tenha cantado
pret. imperfeito
prte. mais-que-perfeito composto se eu tivesse cantado
se eu cantasse
futuro quando eu cantar
futuro perfeito composto quando tiver cantado

4-imperativo (ordem, conselho, pedido) (só TU e VÓS) canta (tu), cantai (vós)

5infinitivo (a ideia em abstrato)
pessoal cantar eu, cantares tu...
pessoal composto ter cantado
impessoal cantar
impessoal composto ter cantado

6- gerúndio cantando
composto tendo cantado

7- particípio passado cantado

Atenção que há verbos com 2 formas de particípio passado ter aceitado/ser aceite...


  • Conjugação pronominal reflexa

Conjugação pronominal: lavar-se: eu lavo-me, tu lavas-te, ele ama-a, eles abraçam-se...

  • verbos defectivos (não se usam em todas as pessoas) nevar, chover, trovejar, haver...



sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

tempos e modos verbais ( formas verbais finitas e formas verbais não finitas)

Modos e tempos verbais – formas finitas

As formas verbais finitas são aquelas que variam em modo, tempo, pessoa e número.
Já aprendeste em anos anteriores a conjugar os verbos nos modos indicativo e imperativo. No 6º ano vais ficar a conhecer também o modos condicional e conjuntivo.

Modo Indicativo
modo indicativo serve para registar um facto, uma certeza ou uma verdade.
modo indicativo

Modo Conjuntivo
modo conjuntivo serve para nos referirmos a factos incertos ou duvidosos, possibilidades ou desejos.

Modo conjuntivo

Modo Condicional
modo condicional utiliza-se quando queremos referir factos que estão dependentes de uma condição, exprimir uma dúvida ou para nos referirmos a um acontecimento realizado depois de outro acontecimento passado.

Modo condicional

Modo Imperativo
modo imperativo utiliza-se para dar ordens ou conselhos ou para fazer pedidos.

modo imperativo


Modos e tempos verbais – formas não finitas

As formas verbais não finitas não têm marcas de pessoa, com excepção do infinitivo pessoal.
Nos anos anteriores já aprendeste o infinitivo impessoal e o particípio. Agora no 6º ano vais aprender também o infinitivo pessoal e o gerúndio.

Infinitivo
infinitivo expressa o sentido do verbo sem localização temporal

infinitivo

Particípio
particípio é usado nos tempos compostos e na passiva

particípio passado

Gerúndio
gerúndio traduz geralmente uma ação em curso, que pode ser simultânea de outra

Gerúndio

in: https://www.obichinhodosaber.com/2015/08/25/portugues-6o-modos-e-tempos-verbais-condicional-conjuntivo-infinitivo-e-gerundio/

Tempos e modos verbais (resumo- breve explicação)

MODO INDICATIVO é o modo da realidade, das certezas, em relação ao presente, passado e futuro.

1-      Presente do Indicativo refere factos atuais:
Ex. Faço; ponho; dou;

2-      Pretérito Imperfeito pode traduzir uma ação que durava ou que era habitual; (usa mentalmente a expressão
“antigamente eu...” para colocar o verbo nesse tempo)
Ex. Fazia; punha; dava;

3-      Pretérito Perfeito traduz uma ação pontual passada; (usa mentalmente a expressão “ontem eu...”, e não esqueças de confirmar se a terminação da 2ªpessoa do singular é –ste – repara no exemplo...)
Ex. Fiz/ fizeste; pus /puseste; dei /deste;

4-      Pretérito mais-que-perfeito só se usa para traduzir uma ação anterior a outra, também passada e o tempo simples pertence a um nível de língua cuidado. ( a sua terminação é sempre em – ra);
Ex. fizera; pusera; dera;

5-      Futuro Simples usa-se para exprimir uma ação posterior ao momento da fala ou da escrita, muitas vezes é substituído pelo Presente (a sua terminação é sempre em – rão);
Ex. farão; porão; darão;

MODO CONJUNTIVO exprime, não a realidade, mas a possibilidade, o desejo ou a dúvida.

1-      Para colocares o verbo no Presente do Conjuntivo, usa mentalmente a expressão “queres que eu hoje...” e colocarás o verbo nesse tempo)
Ex. faça; ponha; dê…

2-      Pretérito Imperfeito do Conjuntivo escreve-se sempre com ss (e encontra-lo se mentalmente usares a expressão “ se eu ontem...”)
Ex. fizesse; pusesse; desse...

3-      Futuro do Conjuntivo coloca a ação como muito provável, ou com valor condicional. (Se mentalmente usares a expressão “Quando eu...” transporás o verbo para esse tempo)
Ex. fizer; puser; der.

MODO IMPERATIVO é usado para formular um pedido ou dar uma ordem.
Só possui duas pessoas verbais (tu / vós ) e vai buscar ao Presente do Conjuntivo as pessoas verbais que não possui ( Faça! Façamos! Façam!)
Ex. Faz!; Põe! ; Dá!
 MODO CONDICIONAL é usado para traduzir a possibilidade de realização de uma ação sob condição, concretizada ou não. (Reconhece-lo facilmente pela terminação em – ria)
Ex. faria; poria; diria;