Sejam todos muito bem-vindos! Depois de um ano de sucesso é chegada a hora de "mimar" o nosso blogue alterando-lhe o visual... ;) Alteram-se umas coisas, mas continua-se a apostar no mais importante: Partilha, Estudo e Brincadeira... para que possamos aprender sempre um pouco mais! Portanto mãos à obra, pois "Saber é Poder"!!! ;) Hugs and Kisses
RSS

domingo, 30 de março de 2014

correção das fichas/tpcs

Página 156

1 b) – Como usar…
       a)   Vai bem com… / Faz bem a…

1.1         Frases imperativas)– Como usar…
Frases declarativas) – Vai bem com… / Faz bem a…

1.2- Tu mantém-no sob sol pleno ou à meia luz.
Rega …
Dá preferência… opta….. Corta…..
2- Sequências expositivas: “ salienta o sabor de outras ervas sem o intensificar”;” é utilizada em gargarejos, contra inflamações da garganta”; “ é a erva de excelência para a aromatização de sopas, saladas, molhos e massas”, …
Sequências instrucionais: “Mantenha-o sob sol pleno”; “Coloque-o num local quente e ensolarado”; “Corte sempre acima das folhas em crescimento”,…

? – A-por que / por que /Porque  / porque




sábado, 29 de março de 2014

correção de fichas/tpcs


 
Página 154

Ex.2  - As personagens deste texto são: o Serrano, o Amarelo de Barba preta, a Sementinha, o Mocho de Espiga branca; o Bago Azul/ Trigo Azul; o Bago Vermelho; o Trigo Negro e outros bagos de trigo.

2.1 – Personificação.

2.2  - Encontram-se reunidas a ouvir o Amarelo de Barba Preta e a certa altura aparecem o Bago Azul, o Vermelho e o Trigo Negro.

3- Dá uma informação temporal – a de que o assunto diz respeito a algo que aconteceu há oito mil anos.

3.1-A história dos antepassados dos bagos de trigo e dos homens.

3.2-Os ouvintes estavam muito interessados: A sementinha estava entusiasmada com o que ouvia; o Serrano interrompia o Amarelo de Barba Preta para dizer o que também sabia sobre o assunto e para fazer perguntas e os bagos de trigo mostravam-se impacientes, aguardando a continuação da história do Amarelo de Barba Preta.

4- O Amarelo de Barba preta conta a história dos antepassados. Esta é uma das velhas histórias “que convém saber”, porque dá um ensinamento.

5.1… Vivem em pequenos grupos, onde o trabalho é dividido. E assim, enquanto  os varões se dedicam à caça e à pesca, as mulheres colhem frutos selvagens e raízes, se as cavernas ficam junto das florestas, ou apanham marisco, se o mar está perto.

6.1 – b
6.2- a

7- Os estranhos bagos de trigo apareceram, quando o Amarelo de Barba Preta explica que os antepassados do trigo foram descobertos  ou na Mesopotâmia ou na Abissínia.
7.1- Aparecem nesse momento, Porque são originários da pátria do Trigo.

8 – Falavam da guerra: “ E o Trigo Azul calou-se, emocionado, como se vivesse ainda essa época distante.”

segunda-feira, 17 de março de 2014

Fábulas

Cliquem nas imagens para ler/ouvir um mundo de fábulas!!!




O que é Fábula:

Fábula é uma composição literária em que os personagens são geralmente animais, forças da natureza ou objetos, que apresentam características humanas, tais como a fala, os costumes, etc. Estas histórias são geralmente feitas para crianças e terminam com um ensinamento moral de caráter instrutivo.fábula
A fábula é uma narrativa em prosa ou poema épico breve de caráter moralizante, protagonizado por animais, plantas ou até objetos inanimados. Contém geralmente uma parte narrativa e uma breve conclusão moralizadora, onde os animais se tornam exemplos para o ser humano. A fábula teve a sua origem no Oriente, onde existe uma vasta tradição, passando depois para a Grécia, onde foi cultivada por Hesíodo, Arquíloco e sobretudo Esopo. Neste período o gênero ainda pertencia à tradição oral. Foram os romanos, entre os quais sobressai Fedro, que inseriram a fábula na literatura escrita.
Cada animal simboliza algum aspeto ou qualidade do homem como, por exemplo, o leão representa a força; a raposa, a astúcia; a formiga, o trabalho, é uma narrativa com fundo didático. Quando os personagens são seres inanimados ou objetos, a fábula recebe o nome de apólogo.
Algumas das fábulas mais conhecidas são: a cigarra e a formiga, a raposa e as uvas, a lebre a a tartaruga e o leão e o ratinho.
Os mais famosos escritores de fábulas são Esopo, Fedro e La Fontaine. Este último, criou uma obra-prima intitulada "Fábulas", dividida em 12 livros, onde o autor usa linguagem ágil e expressiva para analisar com mestria a alma e a natureza do ser humano. Escritas em verso livre e publicadas entre 1668 e 1694, as Fábulas contêm uma crítica lúcida e satírica à sociedade do final do século XVII, mas podem ser aplicadas nos dias de hoje.


  • Jean de La Fontaine
  • Jean de La Fontaine foi um poeta e fabulista francês. Era filho de um inspetor de águas e florestas, e nasceu na pequena localidade de Château-Thierry. Estudou teologia e direito em Paris, mas seu maior interesse sempre foi a literatura. Wikipédia
  • Falecimento13 de abril de 1695,Paris, França
  • CônjugeMarie Héricart (desde 1647)
  • Esopo foi um escritor da Grécia Antiga a quem são atribuídas várias fábulas populares. A ele se atribui a paternidade da fábula como gênero literário. Wikipédia
  • Falecimento564 a.C.
  • quarta-feira, 12 de março de 2014

    ACORDO ORTOGRÁFICO - revisaão de algumas regras

    ACORDO ORTOGRÁFICO


    As alterações introduzidas na ortografia são as seguintes:
    1.Introdução das letras k, w e y.

    2.Uso da maiúscula.

    3.Supressão de consoantes.

    4.Supressão de acentos.


    5.Supressão e/ou substituição do hífen.


    As letras k, w e y fazem parte do alfabeto da língua portuguesa.
    Apesar desta novidade, as regras de utilização mantêm-se as mesmas. Estas três letras podem, por exemplo, ser utilizadas em palavras originárias de outras línguas e seus derivados ou em siglas, símbolos e unidades internacionais de medida, como:
    darwinismo  Kuwait  km   watt
    A posição destas três letras no alfabeto é a seguinte: …j, k, l… …v, w, x, y, z.

    A letra minúscula inicial é obrigatória:
    nos nomes dos dias
      sábado       domingo  segunda-feira  terça-feira  …
    nos nomes dos meses
      agosto      setembro  outubro  novembro  …
    nos nomes das estações do ano
      verão  outono  inverno  primavera


    A letra minúscula inicial é obrigatória:
    nos nomes dos pontos cardeais ou equivalentes
      sul  leste  oriente  ocidente europeu
      Exceção: quando se referem a regiões esta regra não se aplica.
      Ex.: o Ocidente , o Oriente.
    nas formas de tratamento
      senhor Silva  cardeal Santos


    A letra tanto pode ser minúscula como maiúscula:

    nos títulos de livros, exceto na primeira palavra
      Amor de Perdição   ou   Amor de perdição
    nos nomes que designam cursos ou disciplinas
     
      matemática   ou   Matemática
    nas designações de arruamentos
      rua da Liberdade   ou   Rua da Liberdade
    nas designações de edifícios
      igreja do Bonfim   ou   Igreja do Bonfim

    As letras c e p são suprimidas sempre que não são pronunciadas:
      ação  ótimo  ata  ator  antártico 
      atração  coletânea  conceção  Egito
    As letras c e p mantêm-se apenas nos casos que são pronunciadas:
      facto  apto  adepto  compacto
      contacto  egípcio
    A dupla grafia é aceite onde ser verifica oscilação da pronúncia:
     
      setor   ou  sector  caraterística ou característica

    As letras b, g e m mantêm-se na escrita em português europeu padrão de sequências idênticas de consoantes:
      subtil  súbdito  amígdala
      amnistia  omnipresente
    A letra h mantém-se no início e no fim das palavras, assim como nos dígrafos ch, lh e nh:
      homem  oh  chega
      mulher  vinho


    O acento agudo é suprimido das palavras graves cuja sílaba tónica contém o ditongo oi:
     
      joia    heroico            boia  lambisgoia
      alcaloide          paranoico
    O acento circunflexo é suprimido das formas verbais graves, da terceira pessoa do plural, terminadas em eem:
      leem       veem           creem          deem         preveem

    O acento gráfico, agudo ou circunflexo, é suprimido das palavras graves que não têm homógrafas da mesma classe de palavras, como para (preposição) e para (verbo parar no imperativo).
     
    O acento agudo mantém-se na escrita do português europeu padrão das formas verbais da primeira pessoa do plural, do pretérito perfeito do indicativo, dos verbos da primeira conjugação:
      gostámos  levámos  entregámos
      andámos  comprámos


    O hífen é suprimido das palavras derivadas em que a última letra do primeiro elemento – elemento não autónomo – é diferente da primeira letra do segundo elemento:
      autoavaliação  autoestrada         agroindústria
      antiamericano  bioalimentar       extraescolar

    O hífen mantém-se nas derivadas começadas por ex, vice, pré, pós, circum seguido de vogal ou n, pan seguido de vogal ou m, ou ab, ad, ob, sob ou sub seguido de consoante igual, b ou r:
      pós-graduação  pan-americano  sub-região


    O hífen é suprimido de palavras cuja noção de composição se perdeu:
      paraquedas  mandachuva


    O hífen é substituído por r ou s, duplicando-o, nas palavras derivadas e compostas acima referidas em que a última letra do primeiro elemento é uma vogal e a primeira letra do segundo elemento é um r ou um s:
      semirrígido  suprassumo  antirroubo  antissemita
      girassol  madressilva  ultrassecreto


    O hífen é substituído por um espaço em branco nas locuções substantivas, adjetivas, pronominais, adverbiais, prepositivas ou conjuncionais:
      fim de semana  cão de guarda  cor de vinho


    O hífen é substituído por um espaço em branco nas quatro formas monossilábicas do verbo haver seguidas da proposição de:
      hei de  hás de  há de  hão de



    O hífen mantém-se em todos os restantes casos.
    Generalidade das compostas:
      cobra-capelo  ervilha-de-cheiro       
      mal-estar  tenente-coronel

    Derivadas em que a última letra do primeiro elemento é igual à primeira letra do segundo elemento:
      anti-ibérico  hiper-realista

    Formas verbais seguidas de pronome pessoal dependente:
      disse-lhe  disse-o  dir-te-ei
    Encadeamentos vocabulares:
      estrada Lisboa-Porto  ponte Rio-Niteroi

    segunda-feira, 10 de março de 2014

    Para o teste...de março!!

    Amiguinhos,
    Aqui fica a ajuda do costume...


    Estrutura do teste:

    Parte I
    Texto A - texto retirado da obra "O rapaz de Bronze"
    Perguntas de interpretação sobre o excerto e sobre a obra.
    Texto B - texto retirado de uma enciclopédia.
    Interpretação do texto.

    Parte II - CEL - Gramática
    adjetivos
    nomes
    verbos
    determinantes
    preposiçõies
    advérbio
    Funções sintáticas / Constituintes da frase (Grupo Nominal, Grupo verbal...)

    Parte III
    Composição
    Continuação do texto narrativo - dar continuidade a uma história- Têm que fazer no mínimo um parágrafo descritivo, utilizando recursos expressivos (comparação, personificação...) adjetivos,... mínimo 180 palavras - máximo 200 palavras!

    domingo, 9 de março de 2014

    Literatura tradicional - conto - lenda - provérbio ....

    sábado, 8 de março de 2014

    Estrutura do Conto Tradicional

    sexta-feira, 7 de março de 2014

    O Rapaz de bronze - análise...


    Depois da leitura do livro....

    Aqui fica.....


    o

    a



    e
    Vídeo/Representação: capítulo "A festa"