Sejam todos muito bem-vindos! Depois de um ano de sucesso é chegada a hora de "mimar" o nosso blogue alterando-lhe o visual... ;) Alteram-se umas coisas, mas continua-se a apostar no mais importante: Partilha, Estudo e Brincadeira... para que possamos aprender sempre um pouco mais! Portanto mãos à obra, pois "Saber é Poder"!!! ;) Hugs and Kisses
RSS

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Verbos com Particípio Duplo

Verbos com Particípio Duplo

1-Geralmente ,os verbos têm apenas um particípio passado.

-Regular – termina, na maior parte das vezes, em  -ado (nos verbos da 1ª conjugação – ex: falado) ou -ido
 (nos verbos da 2ª e 3ª conjugações –ex: corrido, sorrido);

-Irregular- com uma terminação diferente (ex: feito, posto).

2- Alguns verbos apresentam dois particípios: um regular ( com a terminação –ado ou –ido) e outro irregular. Nos verbos com dois particípios passados, utiliza-se:

-o particípio passado regular com o verbo TER (ex: Quando cheguei, a Joana já tinha matado os mosquitos);

- o particípio passado irregular com os verbos SER ou ESTAR (ex: Quando cheguei, os mosquitos já estavam mortos. Os mosquitos foram mortos pela Joana.)



segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Jorinda e Joringuel - Irmãos Grimm

Jorinda e Joringuel- Irmãos Grimm


O conto que em baixo se transcreve  é o nº 69 da lista dos Contos de fadas para o lar e as crianças (Kinder- und Hausmärchen) dos Irmãos Grimm.
Ilustração Stephanie Hannah Martin
«Era uma vez um castelo antigo, no meio de uma densa floresta, onde morava sozinha uma velha que era uma temível bruxa.  De dia, transformava-se em gata ou em coruja e, de noite, retomava regularmente forma humana. Com as suas artes mágicas, atraía animais selvagens e pássaros que depois matava e cozinhava para comer.
Ai de quem se aproximasse do castelo! Num raio de mil passos a toda a volta, a floresta estava embruxada. Quem, distraidamente, ali penetrasse ficaria mudo e quedo, sem se poder mexer, até que a bruxa o quisesse vir libertar. E, se fosse uma rapariga, pior: a bruxa transformava-a em pássaro, fechava-a numa gaiola e levava-a para uma sala do castelo, onde havia já mais de sete mil destas aves.
Ilustração de Bernadette Watts
Ora havia naquele tempo uma linda rapariga chamada Jorinda que amava ternamente um gentil rapaz chamado Joringuel. Estavam noivos e pouco faltava para o dia do casamento. Certa tarde, como estava um tempo magnífico, foram passear para a floresta. O sol brilhava entre as folhas verdes e os pássaros cantavam nos ramos.
De repente, sentiram uma grande tristeza. Olharam em volta: o sol começava a esconder-se atrás dos montes e estavam perdidos. Joringuel avançou uns passos e descobriu, aterrorizado, por entre as árvores, os muros do castelo. Ouviu Jorinda cantar:
– O passarito do anel azul,
(que triste sorte!)
à pomba canta a sua morte
Tristemente canta: tac-tac-uit-uit
Joringuel olhou em redor à procura de Joringa. E viu-a transformada num rouxinol a cantar ” piu.., piu., piu..” Uma coruja com olhos flamejantes voou em círculo três vezes à volta dela e das três vezes piou: “uúu … uúu… uúu”.
ilustração de Adrienne Segur
Joringuel, transformado em estátua, não podia chorar, nem falar, nem mexer um dedo.
O sol pôs-se por completo. A coruja voou para uma moita e, de súbito, saiu de lá uma velha corcovada, amarela e magra, com olhos vermelhos e um nariz tão adunco que a ponta lhe tocava no queixo.
Murmurando qualquer coisa, pegou no rouxinol e levou-o bem apertado na mão. Joringuel não podia mexer-se nem dizer nada eo rouxinol já ia longe.
Finalmente, a velha voltou e disse em voz surda:
– Salve, Zequiel, a lua brilha no charco. Liberta-o, Zequiel, de imediato.
Então Joringuel ficou livre. Lançou-se aos pés da velha, suplicou-lhe que lhe restituísse a sua querida Jorinda, mas a bruxa jurou-lhe que nunca mais a veria e desapareceu.
Joringuel gritou, chorou e desesperou-se. Em vão.
Depois pôs-se a caminho. Andou, andou, andou. Chegou, por fim, a uma aldeia desconhecida onde ficou a tomar conta das ovelhas. Às vezes ia com o rebanho para perto do castelo, mas nunca se aproximava.
Certa noite sonhou que tinha encontrado uma flor vermelha, cor de sangue, em cujo centro havia uma pérola enorme, lindíssima. No sonho colhia-a e ia ao castelo. Tudo aquilo que com ela tocava ficava desencantado e assim recuperava a sua querida Jorinda.
De manhã, mal acordou, Joringuel começou a procurar por montes e vales a flor do sonho. Procurou sem descanso e, por fim, na madrugada do nono dia, encontrou uma flor vermelha, cor de sangue. Na corola havia uma gota de orvalho, enorme e brilhante como uma pérola magnífica.
Ilustração de Kay Konrad
Ao vê-lo, ficou enraivecida. Gritou, lançou-lhe fel e veneno, mas não pôde aproximar-se dele mais do que dois passos. Joringuel não lhe ligou. Toda a sua atenção estava concentrada nas gaiolas: entre tantos milhares de pássaros, como podia reconhecer a sua Jorinda?
Enquanto os observava, apercebeu-se de que a velha pegara numa gaiola e tentava fugir. Correu atrás dela e tocou-lhe com a flor. A bruxa perdeu as suas artes mágicas e Jorinda lançou-se-lhe nos braços, mais bela do que nunca. Quebrado o encanto, todos os outros pássaros se transformaram em lindas raparigas.
Depois voltou para casa com a sua Jorinda e viveram juntos e felizes por muitos e muitos anos.» (adaptado e corrigido)
in Os mais belos contos de Grimm, Civilização;  fonte:  Jorinda e Joringuel – Porto Editora (atenção à falta do 6º parágrafo em alguns manuais, reproduzindo o erro da edição da Civilização.)


—————————–




—————————-
Em baixo podes deliciar-te com uma versão moderna desta história, ao som da música de Vivaldi. És capaz de descobrir as diferenças entre as duas versões?
  • E ainda:
    • Aprecia aqui  mais duas versões animadas de “Jorinda e Joringuel” e através de uma delas fica a conhecer  a linda canção da Jorinda.


Posted by Manuela DLRamos em Maio 30, 2013 in https://bibliobeiriz.wordpress.com/2013/05/30/jorinda-e-joringuel-irmaos-grimm/

sábado, 9 de janeiro de 2016

Biografia Irmãos Grimm

Os irmãos Grimm (em alemão Brüder Grimm ou Gebrüder Grimm), Jacob (Hanau4 de janeiro de 1785 – Berlim20 de setembro de 1863) e Wilhelm (Hanau24 de fevereiro de 1786 – Berlim16 de dezembro de 1859), foram dois irmãos, ambos académicoslinguistaspoetas e escritores que nasceram no então Condado de Hesse-Darmstadt, atual Alemanha. Os dois dedicaram-se ao registo de várias fábulas infantis, ganhando assim grande notoriedade, notoriedade essa que, gradativamente, tomou proporções globais. Também deram grandes contribuições à língua alemã, tendo os dois trabalhado na criação e divulgação, a partir de 1838, do Dicionário Definitivo da Língua Alemã (o "Deutsches Wörterbuch"), que não chegaram a completar, devido a morte de ambos entre as décadas de 1850 e 1860.


O primeiro volume, publicado em 20 de dezembro de 1812, continha 86 histórias. 
O segundo volume de 70 histórias veio em seguida, em 1814. 
Para a segunda edição, dois volumes foram publicados em 1819 e um terceiro em 1822, totalizando 170 contos. A terceira edição foi publicada em 1837; quarta edição, 1840; quinta edição, 1843; sexta edição, 1850; sétima edição, 1857. 
Histórias foram adicionadas e também subtraídas entre uma edição e outra, até a sétima possuir 211 contos. Todas as edições foram amplamente ilustradas, primeiro por Philipp Grot Johann e, após sua morte em 1892, por Robert Leinweber.
Os primeiros volumes foram muito criticados porque, embora fossem chamados "Contos Infantis", não foram considerados adequados para crianças, tanto pela informação científica contida quanto pelo tema. Muitas mudanças entre as edições - tal como a troca da mãe malvada da primeira edição em Branca de Neve e João e Maria (Hansel e Gretel em Portugal) por uma madrasta - foram provavelmente feitas visando tal adequação. 
Porém, em muitos aspectos, a violência, particularmente ao punir vilões, foi aumentada.
Em 1825 os Irmãos Grimm publicaram o seu Kleine Ausgabe ou "pequena edição", uma seleção de 50 contos feita para o público infantil. Esta edição para crianças passou por dez edições entre 1825 e 1858.

A obra é constituída pelos contos:
Volume 1
  • 1. O rei sapo ou Henrique de ferro (Der Froschkönig oder der eiserne Heinrich)
  • 2. Gato e rato em companhia (Katze und Maus in Gesellschaft)
  • 3. A protegida de Maria (Marienkind)
  • 4. A história do jovem em busca de saber o que é o medo (Märchen von einem, der auszog, das Fürchten zu lernen)
  • 5. O lobo e as sete crianças (Der Wolf und die sieben jungen Geißlein)
  • 6. O fiel João (Der treue Johannes)
  • 7. A boa troca (Der gute Handel)
  • 8. O músico maravilhoso (Der wunderliche Spielmann)
  • 9. Os doze irmãos (Die zwölf Brüder)
  • 10. O bando de maltrapilhos (Das Lumpengesindel)
  • 11. Irmãozinho e Irmãzinha (Brüderchen und Schwesterchen)
  • 12. Rapunzel
  • 13. Os três homenzinhos na floresta (Die drei Männlein im Walde)
  • 14. As três fiandeiras (Die drei Spinnerinnen)
  • 15. João e Maria (Hänsel und Gretel)
  • 16. As Três Folhas da Serpente (Die drei Schlangenblätter)
  • 17. A serpente branca (Die weiße Schlange)
  • 18. Carvão, palha e feijão (Strohhalm, Kohle und Bohne)
  • 19. O pescador e sua mulher (Von dem Fischer und seiner Frau)
  • 20. O alfaiatezinho valente (Das tapfere Schneiderlein)
  • 21. Cinderela ou A gata borralheira (Aschenputtel)
  • 22. O enigma (Das Rätsel)
  • 23. O rato, o pássaro e a salsicha (Von dem Mäuschen, Vögelchen und der Bratwurst)
  • 24. Dona Ola (Frau Holle)
  • 25. Os sete corvos (Die sieben Raben)
  • 26. Capuchinho Vermelho (Rotkäppchen)
  • (...)

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Quantificador

Quantificador - ficha informativa

Exames nacionais do 6º ano caem, avançam provas de aferição no 2º, 5º e 8º



Novo modelo de avaliação dos alunos do ensino básico foi anunciado pelo ministro da Educação: exames nacionais só no 9º ano


São muitas as mudanças na avaliação dos alunos do ensino básico anunciadas esta sexta-feira pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e começam a fazer-se sentir já este ano letivo. Os cerca de 100 mil alunos que frequentam o 6º ano já não farão os exames nacionais a Português e Matemática que estavam marcados para Maio. Os do 4º ano já sabiam que também não os iriam fazer.


O que se mantêm são os exames nacionais no final do ensino básico e que continuarão a realizar-se precisamente nos mesmos moldes, com um peso de 30% para a classificação final das duas disciplinas sujeitas a provas finais.


Mas se os alunos do 4º e do 6º deixam de fazer provas nacionais, já os do 2º, 5º e 8º ano passam a ter de realizar obrigatoriamente provas de aferição, que não contam para a nota, mas servem para dar informação à escola, aos professores, pais e alunos sobre o que está ou não a ser aprendido. Este ano letivo as provas incidem sobre Matemática e Português, mas nos anos letivos seguinte serão alargadas a mais disciplina, em regime rotativo.


As avaliações passam assim a ser feitas a meio do ciclo de estudos, de "modo a poder agir atempadamente sobre as dificuldades detetadas", lê-se no comunicado do Ministério.


O mesmo comunicado explica ainda que os resultados das provas de aferição são devolvidos às escolas para análise, e transmitidos aos encarregados de educação e aos alunos através de uma ficha individual do aluno. "Esta ficha contém um descritivo detalhado do desempenho" e servirá de "suporte das estratégias diferenciadas que integrarão a prática letiva subsequente, em complemento de todo os dados gerados pela avaliação interna".
JÁ HÁ DATAS PARA AS PROVAS


Neste ano letivo, as provas de aferição do 2º e 5º anos realizam-se na última semana de aulas e as do 8º após a última semana de aulas (o 3º período acaba a 9 de junho), em "datas compatívies com o restante calendário de avaliação externa",


Os testes de inglês no 9º ano, da responsabilidade de Cambridge, não constam do modelo integrado apresentado pelo Ministério da Educação, pelo que já não fazem parte dos planos para o presente ano letivo. Era suposto começarem a contar para a nota final dos alunos a inglês em 2015/16.


Fiandeiras de Algodão em Maniratuba Goiás...

Trabalho de aula - "As três fiandeiras"

As três fiandeiras - página 74

2.
a -A rainha que passava em frente da casa da rapariga , ouviu-a a chorar e quis saber o porquê. A mãe mentiu-lhe dizendo que a filha só queria fiar, mas não havia dinheiro para linho.
b- A rainha propôs que a rapariga fosse viver para o palácio, onde lhe daria  muito linho para fiar.
c -Ela foi levada para o andar de cima  do palácio, onde havia  três quartos cheios de linho para fiar.
d- A rapariga ficou assustada e dasatou a chorar, nada fazendo durante três dias.
e- A rapariga desculpou-se dizendo que tinha saudades de casa e da mãe.
f- Três mulheres ofereceram-se para fiar todo o linho, desde que a  rapariga  prometesse convidá-las para o seu casamento e as sentasse à sua mesa, sem se envergonhar delas.
g - Pediu para convidar as três mulheres e sentá-las À sua mesa no dia do casamento, dizendo ser suas primas.
h - Porque todas tinham uma característica que chamava muito à atenção: uma, o pé largo e chato; a outra, o beiço inferior muito comprido; a última o dedo polegar extremamente largo.

Resumo/ desfecho - Quando o príncipe ouviu que aquelas características eram provocadas pelo trabalho de fiar o linho, disse que não queria que o mesmo acontecesse À sua noiva  e assim a rapariga ficou livre desse trabalho.

3- três quartos; três dias; três mulheres; três extraordinárias criaturas; três primas; três velhas.

4- fiar - trabalhar o linho; reduzir a fio o linho. / fiar - acreditar.

5- A mãe mente A`rainha, porque tem vergonha de dizer que a filha é preguiçosa.
A rapariga mente à rainha, quando lhe diz que não fez nada nos três dias, porque tinha saudades de casa.
A rapariga mente À rainha e ao príncipe quando diz que as três fiandeiras são suas primas.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Texto poético (ficha informativa)

Texto poético 
Características da poesia
O texto poético é geralmente escrito em verso. Além da forma, tem uma linguagem própria, em que as palavras adquirem significados novos ou diferentes daqueles que têm noutras tipologias textuais, nomeadamente graças aos recursos expressivos utilizados.
O poeta é o autor do poema, mas a voz do poema – quem expressa os sentimentos, quem descreve realidades e vivências – é o sujeito poético.

Estrutura do texto poético
Verso – cada uma das linhas do poema.
Estrofe – um conjunto de versos separadas por um espaço em branco.
As estrofes classificam- -se tendo em conta o número de versos que as constituem.


Rima – igualdade ou semelhança de sons no fim dos versos.
Classifica-se conforme a posição que os versos ocupam na estrofe.
Um verso que não rima designa-se verso solto ou verso branco.

Métrica – medida de um verso, que corresponde ao seu número de sílabas métricas.
Para contar o número de sílabas métricas, contam-se as suas sílabas gramaticais até à última sílaba tónica.
Sílabas gramaticais que terminam e começam em vogais, e que são pronunciadas numa só emissão de som, contam apenas como uma sílaba métrica.
Por isso, o número de sílabas métricas nem sempre corresponde ao número de sílabas gramaticais. Os versos classificam-se tendo em conta o número de sílabas métricas que têm.

Clica no link para consultares (e imprimir) a:   Ficha informativa

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

BELA INFANTA

Resumo (modelo)

MODELOS DE

ESCRITA- Resumo


1.O que é resumir um texto?
Resumir um texto é reduzir as suas ideias ao essencial, sem as alterar nem dar opiniões.

Devo começar por fazer uma primeira leitura do texto para perceber as ideias principais:

 Golfinhos no Tejo!
 Não foi fácil contar os golfinhos que apareceram no rio Tejo, no passado sábado, dia 9, perto da região de Lisboa. Entre saltos e mergulhos, ficou a ideia de que eram cerca de vinte. Em breve podem ser mais, já que foram avistadas várias crias.
         Ver golfinhos no Tejo tornou-se um fenómeno raro devido à poluição da          água. Os esgotos de mais de 100 mil lisboetas corriam diretamente                para o rio, sem qualquer tipo de tratamento.
         No início deste ano, foram concluídas as obras da Estação de                           Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Alcântara e os esgotos          passaram  a ser tratados antes de desaguarem no rio.
         O avistamento de golfinhos no Tejo é um sinal de que a água está                   menos poluída, o que contribui para o aumento da biodiversidade                   (seres vivos) que vivem no rio.

Resumo

Golfinhos no Tejo! 

Não foi fácil contar os golfinhos que apareceram no rio Tejo, no passado sábado, dia 9, perto da região de Lisboa. Entre saltos e mergulhos, ficou a ideia de que eram cerca de vinte. Em breve podem ser mais, já que foram avistadas várias crias.
Ver golfinhos no Tejo tornou-se um fenómeno raro devido à poluição da água. Os esgotos de mais de 100 mil lisboetas corriam diretamente para o rio, sem qualquer tipo de tratamento.
 No início deste ano, foram concluídas as obras da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Alcântara e os esgotos passaram a ser tratados antes de desaguarem no rio.
O avistamento de golfinhos no Tejo é um sinal de que a água está menos poluída, o que contribui para o aumento da biodiversidade (seres vivos) que vivem no rio.



 Também posso dividir o texto em partes e atribuir um título a cada parte:

Parte 1 - Golfinhos avistados no Tejo
Não foi fácil contar os golfinhos que apareceram no rio Tejo, no passado sábado, dia 9, perto da região de Lisboa. Entre saltos e mergulhos, ficou a ideia de que eram cerca de vinte. Em breve podem ser mais, já que foram avistadas várias crias.

Parte 2 - A poluição afastava os golfinhos

Ver golfinhos no Tejo tornou-se um fenómeno raro devido à poluição da água. Os esgotos de mais de 100 mil lisboetas corriam diretamente para o rio, sem qualquer tipo de tratamento.

Parte 3 - Conclusão da ETAR diminuiu a poluição 

 No início deste ano, foram concluídas as obras da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Alcântara e os esgotos passaram a ser tratados antes de desaguarem no rio.
O avistamento de golfinhos no Tejo é um sinal de que a água está menos poluída, o que contribui para o aumento da biodiversidade (seres vivos) que vivem no rio.



Finalmente, começo a escrever o resumo, que corresponde a cerca de um terço do texto original, tendo em conta que devo:

 -manter a ordem, a estrutura, os tempos e pessoas verbais;
-eliminar as repetições (de ideias ou de palavras), os exemplos, as interjeições, os diálogos e as citações;
-substituir as palavras por sinónimos, ou por outras expressões.



O resumo do texto

Golfinhos no Tejo!

  Cerca de vinte golfinhos, incluindo crias, foram avistados no dia 9, no Tejo.
É um fenómeno raro, pois os esgotos lançados ao rio sem tratamento contribuíram para afastar estes animais das zonas poluídas.
  O regresso destes mamíferos pode dever-se à conclusão da Estação de Tratamento das Águas, que diminuiu a poluição no rio.




Resumo – o que devo verificar?

3.Depois de escrever o resumo, o que devo verificar?

Quando acabar, não me posso esquecer de verificar se
- respeitei a ordem de apresentação das ideias ou dos factos;
- não alterei o sentido do texto;
- disse apenas o que é essencial, eliminando o acessório;
- utilizei corretamente as conjunções;
- evitei a transcrição de expressões longas do texto original;
- evitei fazer comentários e dar a minha opinião pessoal;
- utilizei uma linguagem clara e correta;
- respeitei as regras de pontuação e de ortografia

domingo, 3 de janeiro de 2016

Palavras homófonas; homógrafas, homónimas e parónimas

(http://www.slideshare.net/rsn/relao-entre-palavras)



homónimas - mesma escrita, mesma pronúncia, significado diferente: eu rio, o rio, canto, banco
homógrafas - grafia idêntica, pronúncia e significado diferentes: o carpinteiro pregou o prego, o padre pregou o sermão, besta, demos, dêmos, lobo, pode, pôde, pôr, por, sábia, sabia, sabiá
homófonas - mesma pronúnica, escrita e grafia diferentes: coseu, cozeu, acento, assento, aço, asso, bucho, buxo, cegar, segar, censo, senso, conselho, concelho, era, hera, passo, paço

parónimas - significado diferente, palavras parecidas: ilegível, elegível, comprimento, cumprimento, descrição, discrição, emigrante, imigrante, eminente, iminente, moral, mural, mugir, mungir, perfeito, prefeito, rebelar, revelar

sinónimos - significado idêntico: bonito, lindo
antónimos - significado contrário: bonito, feio, dar, tirar