Sejam todos muito bem-vindos! Depois de um ano de sucesso é chegada a hora de "mimar" o nosso blogue alterando-lhe o visual... ;) Alteram-se umas coisas, mas continua-se a apostar no mais importante: Partilha, Estudo e Brincadeira... para que possamos aprender sempre um pouco mais! Portanto mãos à obra, pois "Saber é Poder"!!! ;) Hugs and Kisses
RSS

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

A carta


A carta


Objetivos 
Uma carta pode ser escrita, entre outros, com o objetivo de comunicar com amigos e/ou familiares, contar experiências vividas, fazer um convite, dar ou pedir informações, estabelecer contactos comerciais e/ou profissionais ou fazer uma reclamação.

Estrutura
https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2Fbrip.escolavirtual.pt%2Ffiles%2Flessons%2Fimport_141106_122006%2Fma_7por%2F7por_47%2Fresources%2F5629437626286080.png&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F* local e data;
https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2Fbrip.escolavirtual.pt%2Ffiles%2Flessons%2Fimport_141106_122006%2Fma_7por%2F7por_47%2Fresources%2F5629437626286080.png&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F* saudação e denominação do destinatário;
https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2Fbrip.escolavirtual.pt%2Ffiles%2Flessons%2Fimport_141106_122006%2Fma_7por%2F7por_47%2Fresources%2F5629437626286080.png&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F* corpo da carta ou texto;
https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2Fbrip.escolavirtual.pt%2Ffiles%2Flessons%2Fimport_141106_122006%2Fma_7por%2F7por_47%2Fresources%2F5629437626286080.png&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F* despedida;
https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2Fbrip.escolavirtual.pt%2Ffiles%2Flessons%2Fimport_141106_122006%2Fma_7por%2F7por_47%2Fresources%2F5629437626286080.png&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F* assinatura do remetente;
https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2Fbrip.escolavirtual.pt%2Ffiles%2Flessons%2Fimport_141106_122006%2Fma_7por%2F7por_47%2Fresources%2F5629437626286080.png&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F* P.S. - post scriptum (opcional).

Tipos de carta
https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2Fbrip.escolavirtual.pt%2Ffiles%2Flessons%2Fimport_141106_122006%2Fma_7por%2F7por_47%2Fresources%2F5629437626286080.png&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F* a carta pode ser pessoal ou formal consoante a sua finalidade. A linguagem utilizada depende do grau de intimidade entre o remetente e o destinatário;
https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2Fbrip.escolavirtual.pt%2Ffiles%2Flessons%2Fimport_141106_122006%2Fma_7por%2F7por_47%2Fresources%2F5629437626286080.png&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F* na carta formal, recorre-se a um registo de língua cuidado;
https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2Fbrip.escolavirtual.pt%2Ffiles%2Flessons%2Fimport_141106_122006%2Fma_7por%2F7por_47%2Fresources%2F5629437626286080.png&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F* na carta pessoal, é mais frequente utilizar-se um registo de língua corrente e familiar; o discurso, feito na 1.ª pessoa, contém marcas das emoções e opiniões do emissor.


retrato

MODELOS DE

ESCRITA- Retrato

Que vocabulário é necessário para fazer o retrato de alguém?

ASPETO FÍSICO

O rosto e a cabeça - arredondado, oval, magro, cheio, fino, longo; corado, pálido, macilento
Os olhos - amendoados, redondos, rasgados, pequenos, grandes;
azuis, verdes, castanhos, pretos…
As pestanas - longas, curtas, escuras, claras, reviradas
As sobrancelhas - finas, grossas, castanhas, loiras, pretas …
A boca - grande, pequena; lábios grossos ou finos; dentes brancos, grandes, finos
O bigode e a barba – ruiva, castanha, farta; curta…
O cabelo - negro, louro, castanho, ruivo; curto, longo, encaracolado, liso; penteado, desalinhado

O corpo

üO pescoço
üOs ombros
üO tronco
üOs braços
üAs mãos
üAs pernas
üOs pés



Como se organiza o retrato de alguém?

Podemos começar por dar os aspetos gerais e depois os pormenores. Ou o contrário… Mas, devemos seguir uma ordem lógica.
Não assim:
O homem tinha cabelo e barba desalinhados e compridos, amarelados. Calçava umas botas enormes.
Os olhos eram demasiado pequenos para o seu rosto. As mãos eram fortes. O seu rosto era largo.
Tinha pescoço e ombros largos. Os dedos eram muito grossos. A boca mal se via, por causa da barba. Era um homem com uns olhos estranhos. Segurava num cajado com a mão esquerda.
Toda a sua figura causava medo! Os seus cabelos compridos e desalinhados eram da cor da barba. Os olhos eram azuis.
Era um homem muito alto. As sobrancelhas eram grossas e um pouco mais escuras do que o cabelo e a barba.”



Mas assim, por exemplo:
“Era um homem muito alto.
O seu rosto era largo. Tinha cabelo e barba desalinhados e compridos, amarelados, e a sua boca mal se via. Os seus olhos azuis eram demasiado pequenos para o rosto. Era um homem com uns olhos estranhos. As sobrancelhas eram grossas e um pouco mais escuras do que o cabelo e a barba.
Tinha pescoço e ombros largos. As mãos eram fortes, com uns dedos muito grossos. Segurava um cajado com a mão esquerda e calçava umas botas enormes.
Toda a sua figura causava medo!”






Como posso usar os adjetivos para compor o retrato?

Posso usar adjetivos em série:
Os seus olhos eram pequenos, azuis e estranhos.
Posso usar adjetivos em diferentes graus:
Os seus olhos eram mínimos, muitos azuis e os mais estranhos que já vi.



Para além dos adjetivos, que recursos posso usar para compor um retrato?

Posso exagerar:
Era o homem mais alto do mundo!
Posso fazer uma comparação inesperada:
As mãos, de tão fortes, eram como duas garras.
Posso criar listas de palavras, de forma a causar maior impressão:
Toda a sua figura causava medo: o tamanho, as mãos, o cabelo, a barba, e sobretudo os olhos.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

verbos copulativos, transitivos e intransitivos

Verbos Copulativos, Transitivos e Intransitivos

1.Verbos Copulativos: São verbos de ligação entre o sujeito e o predicativo do sujeito. Os verbos copulativos são: ser, estar, continuar, parecer, ficar, permanecer...
Ex.: A Aia era leal.

2.Verbos Transitivos:
 são acompanhados por complementos directos e /ou indirectos.
2.1- Verbos Transitivos Directos: São acompanhados por complementos directos.
Ex. A Aia salvou o príncipe.
2.2- Verbos Transitivos Indirectos: São acompanhados por complementos indirectos.
Ex. O Ramos telefonou ao Silvestre.
2.3- Verbos transitivos directos e indirectos: São acompanhados por complementos directos e indirectos.
Ex. A Rainha ofereceu um tesouro à Aia.

3. Verbos Intransitivos: Não são acompanhados por complementos directos nem indirectos.
Ex. A Aia morreu.
(in:http://jorge-almeida.blogspot.pt/2007/06/verbos-copulativos-transitivos-e.html)

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Revisões e exercícios 1 - modificador

Atendendo ao "problema" que surgiu hoje na aula deixo aqui alguns exercícios/ explicações que podem ser úteis no vosso estudo, tal como tinha prometido :)
(Leiam também as explicações que se encontram nos posts anteriores.)

(Para a Carolina: )


Modificador do grupo verbal

          O modificador do grupo verbal é a função sintática desempenhada por qualquer constituinte do grupo verbal (predicado) que não é selecionado por nenhum elemento desse grupo verbal. Por outro lado, relaciona-se com os outros elementos do grupo verbal e a sua omissão, geralmente, não afeta o sentido / a gramaticalidade de uma frase.

  • A bomba explodiu ali.
  • A bomba explodiu.

          O modificador do grupo verbal pode assumir diferentes formas:

               » grupo preposicional:
                    . A Margarida acordou com um pesadelo. (o verbo «acordar» não selecciona o grupo preposicional «com um pesadelo» dado que é intransitivo).

               » grupo adverbial:
                    . Em Dezembro, anoitece muito cedo. (quer o grupo adverbial «muito cedo» quer o grupo preposicional «Em Dezembro» não são seleccionados pelo verbo «anoitecer», pois este é intransitivo).

               » oração:
                    . A Sophie cantou quando o professor o permitiu. (a oração «quando o professor o permitiu.» não é seleccionada pelo verbo «canta» visto que este é intransitivo).

(in: http://portugues-fcr.blogspot.pt/2010/12/funcoes-sintacticas-modificador-do.html)



O modificador de um verbo:

  1. É sempre facultativo, não é exigido pelo verbo. Quando é retirado, a frase continua a fazer sentido.
Ex.: No domingo, ela fez o almoço com amor. Ela fez o almoço.

  1. Pode ser um grupo adverbial, um grupo preposicional ou uma oração:
Ex.: a) Eles trabalharam muito bem.
     b) Eles trabalharam com vontade.
     C) Eles trabalharam porque estavam atrasados.

  1. Pode ocorrer em vários sítios da frase.
Ex.: Ele fez o desenho com amor.
     Com amorele fez o desenho.
     Ele fez, com amor, o desenho.

  1.  Faz parte do predicado.
  

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Distinguir Complemento Oblíquo do Modificador (PP raiz editora)


segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

verbo transitivo e intransitivo

1) Verbo Intransitivo
É aquele que traz em si a ideia completa da ação, sem necessitar, portanto, de um outro termo para completar o seu sentido. Sua ação não transita.
Por Exemplo:
O avião caiu.
O verbo cair é intransitivo, pois encerra um significado completo. Se desejar, o falante pode acrescentar outras informações, como:
local: O avião caiu sobre as casas da periferia.
modo: O avião caiu lentamente.
tempo: O avião caiu no mês passado.
Essas informações ampliam o significado do verbo, mas não são necessárias para que se compreenda a informação básica.
2) Verbo Transitivo
É o verbo que vem acompanhado por complemento: quem sente, sente algo; quem revela, revela algo a alguém. O sentido desse verbo transita, isto é, segue adiante, integrando-se aos complementos, para adquirir sentido completo. Veja:
S. SimplesPredicado
As criançasprecisamde carinho.

(in: http://www.soportugues.com.br/secoes/sint/sint11.php)





sábado, 21 de janeiro de 2017

modificador do grupo verbal (complemento oblíquo)

Modificador do Grupo Verbal



O modificador do grupo verbal- é a função sintática desempenhada por qualquer constituinte do grupo verbal (predicado) que não é selecionado por nenhum elemento desse grupo verbal. Por outro lado, relaciona-se com os outros elementos do grupo verbal e a sua omissão, geralmente, não afeta o sentido / a gramaticalidade de uma frase.

          O modificador do grupo verbal pode assumir diferentes formas:

               » grupo preposicional:
                    . A Margarida acordou com um pesadelo. (o verbo «acordar» não selecciona o grupo preposicional «com um pesadelo» dado que é intransitivo).

               » grupo adverbial:
                    . Em Dezembro, anoitece muito cedo. (quer o grupo adverbial «muito cedo» quer o grupo preposicional «Em Dezembro» não são seleccionados pelo verbo «anoitecer», pois este é intransitivo).

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Modificador do grupo verbal

Modificador do grupo verbal

O modificador do grupo verbal é uma função sintática que não é exigida por nenhum elemento do grupo verbal. É, pois, uma função sintática acessória que pode ser retirada da frase, sem prejuízo da sua gramaticalidade.

O modificador do grupo verbal pode ter vários valores semânticos: temporal, locativo, modal, final e causal.


A função sintática de modificador do grupo verbal pode ser desempenhada por um grupo preposicional, um grupo adverbial ou uma oração.

Exemplos: 
No verão, Lourença ia para a praia. (grupo preposicional com valor temporal)
 Havia uma grande festa em casa do Cavaleiro. (grupo preposicional com valor locativo) 
O Cavaleiro enfrentou, corajosamente, o frio e a neve. (grupo adverbial com valor modal)
 Lourença gostava de sonhar quando se deitava para dormir. (oração subordinada adverbial com valor temporal) 
Ele trabalhou muito para conseguir o lugar. (oração subordinada adverbial com valor final) 
Faltei, porque fui ao médico. (oração subordinada adverbial com valor causal) 
Estaciono onde houver lugar. (oração subordinada substantiva relativa com valor locativo) 

Sujeito, predicado e vocativo

Sujeito 

O sujeito simples é constituído apenas por um grupo nominal ou uma oração. 
O sujeito composto é constituído por mais do que um grupo nominal ou uma oração. 
O sujeito, pode, ainda não estar expresso na frase.

Sujeio simples:
Sujeito constituído apenas por um grupo nominal ou uma oração.
ex: O Pedro roubou a estrela brilhante.

Sujeito composto:
Sujeito constituído por mais do que um grupo nominal.
ex:O Cavaleiro e a sua família passaram o Natal juntos.

Sujeito não expresso:
Sujeito Subentendido:
Sujeito que, embora não sendo expresso na frase, pode ser facilmente identificado através da flexão verbal e do contexto em que a frase está inserida.
ex:Os irmãos entraram no barco. 
Cheios de alegria,remaram em direção à estrela.


Sujeito indeterminado:
Sujeito que não pode ser identificado.
ex Dizem que Dentes de Rato era uma menina estranha.

Predicado 

ex.

O cavaleiro viajou
Ontem, fui à piscina com os meus amigos.   
A função sintática de predicado é desempenhada por:
- um verbo/complexo verbal;
- um verbo/complexo verbal e seus complementos e/ou modificadores; 
- um verbo/complexo verbal e seus predicativos (no caso dos verbos copulativos). 

 Vocativo 

ex. Ó mãe
, ganhei o jogo! 
A função sintática de vocativo é desempenhada por um grupo nominal. 
O vocativo é usado em contextos de interpelação, ou seja, quando nos dirigimos a alguém, podendo ser precedido de uma interjeição de chamamento. Na escrita, separa‑se do(s) outro(s) elemento(s) da frase através de vírgula(s)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Preposição

Palavra invariável que permite estabelecer relações de sentido entre elementos da frase. 

As preposições podem ser simples ou contraídas.


   Hoje, vou ao cinema. Desde ontem que estou ansioso para ver o novo filme. Até sonhei com ele esta tarde. Amanhã, fico em casa. 

AO - Preposição contraída (a+o)
PARA - Preposição simples


Preposições simples
a  - de -  por - ante -  desde - sem - após - em - sob - até - entre - sobre - com  para -  trás - contra - perante

Preposições contraídas
com determinantes, pronomes e advérbios

à (a + a)  do (de + o)
ao (a + o)  no (em + o)
àquele (a + aquele)  neste (em + este)
daí (de + aí)  nesse (em + esse)
daqui (de + aqui)  dele (de + ele)
deste (de + este)  pelo (por + o)
noutro (em + outro)